quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Rio seria candidata à "Capital Mundial dos Esportes"

Este era o projeto do ACRJ, até os escândalos na pasta do esporte virem a tona

 Para não perder o foco e continuar o trabalho CORRETO, rumo a conquista de mais este título para o Rio de Janeiro, o esporte tem que se mostrar sustentável em todas as dimensões (social, econômica, ambiental e política) a começar pela governança, transparência e a escolha de gestores, NÃO de oportunistas!
Um futuro afetado pela degradação ambiental e humana não é um cenário no qual os atletas de elite possam gostar e prosperar, tampouco inspira novos atletas amadores ou profissionais a se dedicar com comprometimento e amor à "camisa".
Nas Olimpíadas da China houve a preocupação com a qualidade do ar que os atletas respirariam, versos a performance. A diminuição de espaços limpos, mares limpos, reduz a participação de atletas e o possibilidade de surgimento de novos praticantes.
Em Londres, a governança foi essencial para defender aquilo que determinante à eleição desta cidade como sede dos Jogos em Londres, o respeito ao ambiente. 

A empresa Sports Business em pesquisa recente descobriu que Melborn, na Austrália é a cidade mais lembrada do mundo quando se fala em esportes. Mas não foi mencionada como capital. O Conselho Empresarial de Desenvolvimento do Esporte da Associação Comercial do Rio (ACRJ) vai dar o pontapé inicial do projeto de transformar a cidade do Rio de Janeiro em capital mundial dos esportes em 1° de março do ano que vem (2012), aniversário de 447 anos da cidade, quando será apresentado o Plano Diretor do Projeto.

O presidente do Conselho para os esportes da ACRJ é Andreas Ernst Mirrow. Ele defende a análise das ideias para viabilizá-las. Entre os objetivos deste Conselho, além da data de apresentação do Plano Diretor, está o apoio institucional (da ACRJ) e a promoção de debates para discussão e apresentação das propostas, seminários e simpósios. O Conselho pretende ainda: atuar como organismo de avaliação de projetos e resoluções inerentes ao desenvolvimento do esporte.
A Associação Comercial do Rio de Janeiro tem como presidente do Conselho Empresarial de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável Haroldo Mattos de Lemos, que também é Presidente do Instituto Brasil PNUMA (Agência das Nações Unidas para o Meio Ambiente). Haroldo desenvolve trabalhos sobre o tema “Economia Verde”. Que tal um alinhamento das decisões entre estes dois grupos de trabalho do mesmo órgão, em prol do projeto "Rio Capital Mundial do Esporte"?
- No aspecto ambiental os nossos jogos, vão tentar se inspirar nos Jogos Sustentáveisde Londres -  


Em novembro de 2009, os governos britânico e brasileiro assinaram um acordo pioneiro para compartilhar conhecimento e experiências sobre os Jogos Olímpicos que serão realizados em Londres. O objetivo é compartilhar experiências com representantes de países europeus que adotem ações de consumo sustentável e trazê-las para o Brasil

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

“A Casa que o amor construiu, a Internet abraçou!”

E como na vida real, o importante é o ato de abraçar.
Não importa como e quantas vezes.
O importante é abraço.


A Casa Ronald McDonald do Rio de Janeiro foi a primeira na América Latina e tem o compromisso em oferecer uma "Casa longe de casa" para crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer, mais acompanhante, de outros estados e municípios, em tratamento no Rio de Janeiro. Desde a sua fundação em 1994, a Casa já recebeu mais de 2 mil pequenos pacientes e, só no ano passado, contou com 250 voluntários atuantes. 

A Casa Ronald oferece vários programas na área social e psicossocial, como o de distribuição de Bolsa de Alimentos e cursos profissionalizantes para as mães. Atualmente, são 405 voluntários que se dedicam em diversas atividades, desde tarefas administrativas e operacionais até aquelas de atendimento direto às crianças, adolescentes e seus acompanhantes.

A primeira Casa Ronald McDonald foi inaugurada em 1974, na Filadélfia, Estados Unidos, com o objetivo de ser uma casa de apoio ao tratamento do câncer infanto-juvenil. A iniciativa ganhou abrangência mundial e hoje são mais 307 Casas Ronald McDonald, espalhadas por 30 países e regiões.

Para mais informações, www.casaronald.org.br .