segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

RELATO - NA ESTRADA



Por Ronaldo Gondim e Rafael Gondim 
Da loja Modern Bike - Barata Ribeiro 752 - esquina c a Bolivar Copacabana - RJ

"Dia 18/12/2015 (6ªfeira) saímos do Rio de Janeiro (Ronaldo, Rafael, Augusto e Fernanda) às 8 horas com destino a Governador Valadares, para distribuirmos os donativos que arrecadamos com os nossos amigos da Modern Bike e parceiros, como o Mentes de Ferro




Passamos pelas cidades de Dom Cavati e Engenheiro Caldas, ambas localizadas as margens da BR 116. Nelas visitamos dois abrigos para crianças com um total de 15 crianças e um asilo, com 15 idosos, nestes locais deixamos brinquedos, roupas e calçados, o problema do Rio Doce não havia afetado estas localidades, porém carência existe em todo lugar. 

Quando conversamos com o pessoal de Engenheiro Caldas ficamos sabendo de que na madrugada do dia 08 terça feira, por volta de 1 hora havia caído uma "tromba" d'água sobre a cidade de ITANHOMI, que durou 2 horas com raios e trovões como nunca se havia visto. 

Pegamos a estrada e no trevo da BR 116, desviamos 45 km, isso já passava de 19 horas, quando chegamos em Itanhomi já passava de 20 horas. No dia seguinte conhecemos a Srª Joana e a Sª Guida, voluntárias da Ordem Vicentina na Igreja Central. Elas elas nos relataram a tragédia que se abateu sobre Itanhomi. A cidade tem aproximadamente 12.000 habitantes. Pela quantidade de chuva e sua intensidade, fez com que os bairros próximos dos  Rios Ipiranga e Queiroga, que atravessam a cidade, e pela força de suas águas foi arrastando casas, animais  de criação e fazendo uma verdadeira devastação. O resultado do dilúvio foi 500 habitações danificadas, destruídas ou interditadas, atingindo cerca de 2000 pessoas. O salão paroquial está sendo usado como o suporte para preparar refeições, selecionar e distribuir as roupas, os calçados e as cestas de alimentos. 

Muitos restaurantes da cidade doaram quentinhas, fazendeiros doaram leite e assim o povo desta pequena cidade, porém com um espírito de solidariedade invejável, vão minimizando o sofrimento dos seus conterrâneos. 

Deixamos Itanhomi às 11 horas do dia 19, indo em direção a Governador Valadares. Chegando na cidade soubemos do abrigo da Dona Zulmira, que fica localizado em uma comunidade carente. Para chegar ao abrigo nos deparamos com uma situação constrangedora, pois havia uma fila com mais de 500 pessoas aguardando, sob um sol escaldante, pois já passava de 13 horas, um caminhão que viria trazendo água mineral pára distribuir com aquelas pessoas. Estávamos com aproximadamente 225 litros de água mineral, ainda bem que não estava à vista, pois o povo estava em ponto de "explodir". Passamos pela fila e finalmente lá em cima chegamos ao Abrigo da Dona Zulmira, onde fomos atendidos pela Técnica em Enfermagem, Carmelinda. O abrigo tem no momento 45 idosos e 27 funcionários, com um consumo médio diário de 100 litros de água mineral. 

Finalizamos aí a nossa missão de levar um pouquinho de um mínimo, que se cada um fizesse, existiriam pessoas menos sofridas. 
NÃO É PRECISO IR LONGE PARA ESTENDER A MÃO DA AJUDA, BASTA OLHAR A SUA VOLTA.
p.s.: As imagens dessa viagem ficarão gravadas para sempre em nossas memórias, foram 1300 km rodados em 36 horas."

Nenhum comentário: