DIA DO VOLUNTARIADO

 No Brasil, por força da Lei nº 7.352/1985, o Dia Nacional do Voluntariado é comemorado em todo dia 28 de agosto. Tal lei define “o voluntário como a pessoa que ajuda outras pessoas sem exigir benefícios próprios diretos". (Site: TRF, 2023). 


Esta tarefa anda um tanto quanto disruptiva já que, hoje em dia, varia-se o propósito do voluntário; pode ser um ex-executivo de uma multinacional cansado do sistema capitalista - o maior imperativo do nosso tempo. Este trabalhador vai buscar melhor qualidade de vida em um local onde o empenho dele realmente impacte positivamente o mundo, geralmente uma ONG, Fundação, Associação, ou projetos sociais que sequer têm personalidade jurídica. Este ex-CEO costuma inclusive regularizar a instituição iniciando o processo de constituição de um CNPJ para tal.

Em uma rápida pesquisa, encontram-se inúmeras definições e conceitos acerca da função do voluntário, o que indica que tem mudado, e muito, a visão do exercício do voluntariado. 
Pelas Nações Unidas, "voluntário é o jovem ou o adulto que, devido a seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico, dedica parte do seu tempo, sem remuneração alguma, a diversas formas de atividades, organizadas ou não, de bem estar social, ou outros campos..."

É de amplo conhecimento que o voluntariado é imposto como matéria obrigatória no currículo de muitas instituições de ensino. Não é raro ver universitários estrangeiros circulando em comunidades não somente como um turista ordinário, mas pelo intercâmbio cultural.

Ter sido voluntário é também um diferencial positivo para concorrer a postos de trabalho em determinadas empresas, e diversos editais públicos exigem a experiência do voluntariado. 

Vemos também o “voluntário empreendedor”, indivíduo com enorme grau de comprometimento com o plano de atividades da instituição social, que possui ações mais permanentes, compromissos recorrentes e metas bem definidas a serem apuradas ao final de um determinado período.

Trabalhar em uma organização com este nível de governança requer a profissionalização do voluntariado, pois as responsabilidades são enormes para todos os envolvidos.

O Brasil caminha para a constituição de empresas sociais. Portanto, estamos vivendo a transição do voluntariado para a era da "profissionalização voluntária", que é a da remuneração do empenho de cada vez mais tempo, energia e até de investimentos por parte dos voluntários. 

É uma tendência global. ESTAMOS FALANDO do SISTEMA B uma proposta para um novo sistema econômico em que o cuidado pelas pessoas e pelo mundo seja tão importante quanto os benefícios econômicos. Uma empresa B, por estatuto, determina que as decisões adotadas precisam atender todas as partes interessadas, inclusive acionistas, mas NÃO primordialmente. Assim sendo, a empresa B redefine o sentido de sucesso no negócio e muda o paradigma do mercado. Ela busca ser a melhor empresa para o mundo e não a melhor empresa do mundo.
Mais informações :

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

BALANÇO SOCIAL - visão 2024

Livro já falava sobre escolas e violências

Mentes, vamos sonhar? Que tal uma viagem como objetivo a médio prazo?