quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

LEGADO CULTURAL? Como? pra quê? Entenda

Pictograma "Vôlei" do Mentes de Ferro - são elementos gráficos que ilustram cada esporte 

EU QUERO CRER QUE O LEGADO CULTURAL OLÍMPICO VÁ PARA ALÉM DAS IMAGENS DO CRISTO E DO PÃO DE AÇÚCAR. E VOCÊ?


SOMOS MAIS! OU NOSSOS GOVERNANTES VÃO TENTAR CAMUFLAR NOSSA REALIDADE, OU CONDUZIRÃO OS VISITANTES POR UM PASSEIO PELA COMPLEXA IDENTIDADE CARIOCA E ENVOLVER A CIDADE NOS JOGOS? #aindadatempo

A partir da análise do relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) publicado em março de 2012 sobre os critérios do modelo de investimento em esporte no Brasil, caracterizada pela concentração no alto rendimento, destaca-se que o potencial de crianças para o esporte e jovens a serem trabalhados para a educação olímpica é de 540 mil no Brasil. Mas o que fazer para que esses jovens brasileiros tenham de fato o direito ao acesso ao esporte garantido?
O estudo elaborado pelo TCU declarou que as ações governamentais dos Ministérios deveriam ser mais articuladas entre si e com demais órgãos e instituições do país. Mais intersetoriais.
A política supracitada enfatiza ainda que promover os valores do Olimpismo vai além da escola ou dos cuidados restritos ao próprio campo da saúde, e induz que a responsabilidade de garantir  o direito ao esporte não é exclusiva de um setor, chamando a atenção para a necessidade de engajamento e articulação entre todas as partes envolvidas neste processo, isto é, outros atores sociais e econômicos, empresas, organizações voluntárias e não-governamentais, autoridades locais, indústria, mídia, governo e população. (Brasil, Programa de Investimento no esporte, 2004-2006).
Reafirmando esta questão, Lambis V. Nikolaou, presidente da Comissão de Cultura e Educação olímpica do COI acrescenta que no mundo de hoje os valores Olímpicos e Paralímpicos sofrem grande pressão, e os jovens da base da pirâmide são a geração que irá traçar o caminho da paz, da educação, da compreensão das diferenças, da busca por estilos de vida mais saudáveis, pela proteção dos recursos naturais do nosso planeta e pelo desenvolvimento sustentável. Diz ainda que, para dar conta de resolver problemas sociais, os países sede devem lançar mão do Olimpismo em sua dimensão intersetorial.

Foto do portal esporteessencial.com.br 
  *O fundador do Movimento Olímpico moderno, o francês Pierre de Cobertin (1863-1937) tinha objetivos educacionais. Ele acreditava que os jovens  precisavam treinar seus corpos assim como suas mentes. Queria que as escolas de seu país incluíssem esportes organizados em seus programas de ensino. Isso é legado cultural olímpico e aqui ele vai começar após os Jogos Rio 2016.

Cobertin Acreditava que suas idéias seriam amplamente divulgadas se organizasse um evento esportivo internacional inspirado na herança dos Jogos Olímpicos da Antiguidade realizados na Grécia.

Em 1894, Pierre de Cobertin convidou colegas e amigos para um congresso, no qual apresentou um plano para reviver os Jogos Olímpicos. O comitê criado para planejar esses Jogos foi chamado Comitê Olímpico Internacional. Seus objetivos estão resumidos nos “Öbjetivos do Movimento Olímpico”, que fazem parte da Carta Olímpica original. Os objetivos de Pierre de Cobertin são hoje chamados de princípios fundamentais.

*Outras fontes: Manual de Educação Olímpica da Comissão do Comitê Olímpico Internacional para a Cultura e Educação Olímpica.

Nenhum comentário: