terça-feira, 19 de junho de 2012

VC promete amar e ser fiel ao PIB?


Susan Andrews, psicóloga e antropóloga, formada pela Universidade de Haward e representante do índice Felicidade Interna Bruta (FIB). Nos leva a uma viagem ao Butão, pequeno país dos Himalaias. O local estuda o FIB há mais de 15 anos, lá eles maximizam o FIB em detrimento do PIB.

O Butão levantou essa questão e a necessidade de se medir "crescimento econômico" para além da renda, saúde e educação, para dentro da ONU. O que resultou em colocar este índice para orientar, em um futuro próximo, as políticas públicas do mundo todo. A ideia do índice é avaliar não só os aspectos econômicos, mas os impactos do desenvolvimento em determinada sociedade em todas as dimensões da vida, o que se chama de ciência hedônica, tudo aquilo que traz bem-estar ao ser humano.

Em 5 anos, durante os anos 80 foram publicados 200 artigos os benefícios do bem-estar em sociedade. Nos últimos 18 meses já foram mais de 200 mil artigos sobre este tema publicados. Isso é ou não é um indicador alarmante sobre a importância dotema na sociedade contemporânea?

"Mais é demais!" - contradiz Suzan assim o slogan americano "mais é melhor"," por isso a felicidade americana caiu, a felicidade é um bom negócio". E se mede assim:

F= G (genes) +C (Condições) +AI (Atividades intencionais)

Dr. Richard Davidson - Wisconsim, EUA - "a felicidade pode ser praticada e apreendida".

"1 entre 4 americanos está infeliz ou deprimido, é o atual campeão mundial de transtorno mental, os suicidios entre adolescentes triplicaram. O PIB explodiu, mas a comunidade colapsou. Só a metade dos amenricanos recepcionam os vizinhos"

No Brasil o FIB é um processo de desenvolvimento sustentável, com valores essenciais, como: participação e protagonismo local + Atividades intencionais pesquisa e + co=criação. Os questionários nas comunidades ajudam a identificar as reais potencialidades e vocações, necessidades e urgências locais.


Nenhum comentário: