sábado, 30 de julho de 2011

Carbono, Dióxido dele, combustão, efeito estufa e MUDANÇAS CLIMÁTICAS


A palavra vem do latim carbone (carvão) e foi descoberto ainda pelo homem pré-histórico sob as formas de carvão vegetal e negro-de-fumo (material empregado em arte rupestre).


O carvão vegetal é obtido a partir da madeira ou resíduos vegetais como casca de coco.  Carvão vegetal é biomassa, mas se vier de mata nativa é ilegal, é o chamado carvão de desmatamento. A produção de carvão portanto é insustentável do ponto de vista  ambiental e  social.

Essa biomassa é aquecida a cerca de 550ºC em fornos metálicos ou de barro, sem a presença de oxigênio. Os compostos orgânicos voláteis são evaporados, restando apenas o carbono e alguns resíduos minerais, as cinzas.

Existe na natureza também carvão mineral, formado por troncos, raízes, galhos e folhas de árvores gigantes que cresceram há 250 milhões de anos em pântanos rasos, que se depositaram no subsolo junto ao lodo, foram encobertas e sofreram a pressão da terra transformando-se nas jazidas de carvão, exploradas pelo homem por meio da construção de minas. Desde a época dos grandes descobrimentos o carvão mineral vem substituindo a lenha para a produção de vapor, principal fator de industrialização.

O carbono se apresenta também sob o estado cristalino: como diamante - estado mais precioso e duro, um sólido transparente com massa específica de 3,51g/cm³, usado para cortar vidro - e como grafita, usada na fabricação de lápis.

A maior importância do carbono, no entanto, é o fato de toda matéria viva ser formada pelas combinações de C com outras substâncias e ou elementos. 

O ciclo natural do carbono (devo parte das informações abaixo a minha filha, Anna Laura, futura médica, atual vestibulanda agostiniana do Rio de Janeiro):


Os ciclos do carbono e do oxigênio na natureza são processos fundamentais na ciclagem das substâncias orgânicas que constituem a biosfera, na qual se desenvolvem os fenômenos biológicos. Na primeira etapa do ciclo, a fotossíntese, as partes verdes das plantas absorvem o dióxido de carbono atmosférico (Co2) e o fazem reagir com a água, na presença da luz solar e da clorofila. Formam-se assim compostos de carbono complexos, ou seja a matéria orgânica, usada na respiração, decomposição e combustão natural que eliminarão o Co2 para a atmosfera neutralizando o O2 e não deixando que tudo se oxide, permitindo a vida na Terra.

O Co2 eliminado vai para troposfera, a camada da atmosfera mais próxima da Terra, a mais rica em gases (O2, N2, Co2 e vapor d`água) onde ocorrem os fenômenos meteorológicos, onde há trocas de correntes conforme a altitude avança a temperatura cai, chegando à estratosfera, onde ocorre a absorção dos raios ultravioletas.





Parte da matéria orgânica que entrou em decomposição nos primórdios se acumulou no subsolo e se transformou em petróleo, gás natural e carvão. 



Ciclo antrópico do carbono: combustão dos hidrocabonetos, compostos orgânicos constituídos de carbono e hidrogênio — que formam grandes bolsas em alguns pontos do subsolo, originários de restos vegetais e animais remotos, que ficaram recobertos por estratos durante a evolução da crosta terrestre - são extraídos da natureza e emitidos no final do processo de consumo, ou industrial.


O homem vem estudando plantas industriais capazes de recolocar no subsolo este Co2, mas este será o assunto do próximo post!


A Terra é uma nave que viaja a uma velocidade média de 100.000 km/h, movida a energia solar e reciclagem de matéria, porém, não tem paradas para reabastecer, nossos recursos são finitos.


Carbono encontra-se no canto direito da tabela periódica como um elemento químico não-metálico;
  • Pertencente ao grupo 4a do sistema periódico;
  • O símbolo químico é C;
  • O número atômico, 6;



















Nenhum comentário: