sábado, 3 de julho de 2010

Negócios Sociais

Este making of do programa “Conexões Urbanas”, assinado por Joana Swan, dá uma ideia da relevância global das questões sobre desigualdade e  das conseqüências trágicas que trás à sociedade: conflitos armados, violência,  juventude perdida, insustentabilidade, perdas de vida e perda de mercado.

  •  No mundo, 18 milhões de pessoas morrem devido à pobreza;
  • 10 milhões são crianças;
  • 5 milhões de crianças morrem de fome;
  • No mundo, existem 3 bilhões de pobres;
  • 2.6 bilhões não têm sequer banheiro, 1 em cada 6 passa fome;
  • Na América Latina, existem 190 milhões de pobres;
  • É a região do mundo com maior desigualdade social;
  • Mais de 1 em cada 3 latinos americanos carecem do essencial.
A estatística a cima, dados do Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos - United Nations Human Settlements Programme ( www.unhabitat.org ), mostra o potencial humano inexplorado.

As empresas são um microcosmos com imenso poder de atração e mobilização. Os negócios sociais são frutos de ideias inovadoras que partem de empresas inovadoras ou de instituições sociais, ou ainda das duas em sinergia, que convergem seu expertise para iniciativas economicamente rentáveis, que por meio das principais atividades das empresas propõem soluções aos problemas sociais ou ambientais, usando as práticas comuns de mercado.

Muhammad Yunus, economista e Nobel da Paz em 2006, esteve em maio no Brasil para falar justamente da relevância dos negócios sociais e da inovação para mudar a sociedade. Yunus sugere uma “mudança de paradigma nas corporações, que elas sejam focadas nos objetivos de atender às necessidades humanas, não apenas nos lucros imediatos”.

No mundo há vários incentivadores desses negócios. Entre as organizações que se destacam no cenário global dos negócios sociais está a Artemísia, presente no Brasil desde 2004 que tem como missão inspirar e apoiar uma nova geração de empreendedores no desenvolvimento de modelos inovadores empresariais, voltados para as questões sociais.

Outras empresas com atuação aqui no Brasil, como por exemplo a Accenture incluem na gestão estratégica os negócios sociais. E o fundo social sitawi, que empresta dinheiro de doação a juros baixos para organizações sociais desenvolverem negócios e ampliarem impacto social.

As favelas, antes vistas como ambientes blindados e impenetráveis, hoje são potenciais instrumentos de crescimento e ampliação do market share e reputação da marca. Os 3 bilhões de pobres despertam cada vez mais interesse do mundo dos negócios. Os mais pioneiros já investem neste potencial mercado consumidor e já conquistam os primeiros resultados. É uma maneira de fazer o "bem" e para ter um negócio sustentável no futuro.

SERVIÇO: O programa "Conexões Urbanas" vai estrear a terceira temporada no canal Multishow, dia 28/07, às 23h e é uma plataforma de conhecimento e eslarecimento para a sociedade. Lança luz em temas invisíveis, sem levantar bandeiras, uma oportunidade para empresários e líderes corporativos enchergarem soluções inovadoras para resgatar parte da sociedade/mercado perdida(o).

“A cidade já não é partida… Aqui todos os lados têm voz. Basta de apartheid, exclusão. A notícia que transforma e a transformação que é notícia” – José Junior, fundador, coordenador executivo do AfroReggae e apresentador do progama.

Um comentário:

Paulo Tamburro disse...

OI

NÃO CONHECIA O SEU BLOG.

ACHEI REALMENTE, MUITO INTERESSANTE E TENHA A CERTEZA DE QUE VOLTAREI SEMPRE AQUI.

TAMBÉM, APROVEITO PARA CONVIDAR VOCÊ A CONHECER O MEU BLOG:

“HUMOR EM TEXTO”.

A CRÔNICA DESTA SEMANA É SOBRE UM TEMA QUE DESPERTA CONTROVÉRSIAS E MUITA SENSUALIDADE..

SE PUDER, CONFIRA E SE QUISER COMENTE, POIS LÁ O MAIS IMPORTANTE É O SEU COMENTÁRIO.

UM ABRAÇÃO CARIOCA!